VOCÊ SABIA?

LINHA DO EQUADOR

Ela é uma linha imaginária que divide o planeta em hemisfério norte e hemisfério sul. No Brasil, essa linha imaginária está presente nos estados do Pará, Roraima, Amazonas e Amapá. Macapá é a única capital brasileira “cortada” pela linha do Equador. Que bacana, né?

A CIDADE MAIS ANTIGA DO MUNDO

A cidade mais antiga do mundo é Jericó, na Palestina. Com aproximadamente 10 mil anos de existência, suas ruínas estão localizadas a cerca de meio quilômetro da Jericó moderna.

“Mas, até a década de 20 do século passado, o título de cidade mais antiga era de Ur, na Suméria (no Sudeste do Iraque atual), que teria sido construída há 6 mil anos”, diz o professor de História Voltaire. Segundo ele, há arqueólogos que ainda consideram Ur a cidade mais antiga.

QUAL A ORIGEM DO TERMO “ERRO CRASSO”

Em 59 a.C, o poder em Roma foi dividido entre três figuras: Júlio César, Pompeu Magnus e Marco Licinius Crasso. Enquanto os dois primeiros eram notáveis generais, que ampliaram os domínios romanos, Crasso era mais conhecido pela sua riqueza do que por seu talento militar: César conquistou a Gália (França), Pompeu dominou a Hispânia (Península Ibérica) e Jerusalém, por exemplo. Crasso tinha, assim, uma idéia fixa: conquistar os Partos, um povo persa cujo império ocupava, na época, boa parte do Oriente Médio – Irã, Iraque, Armênia e outros, conta o professor de Letras da Universidade Luterana do Brasil (Ulbra) Robert Levonian.

À frente de sete legiões, ou 50 mil soldados, confiou demais na superioridade numérica de suas tropas. Abandonou as táticas militares romanas e tentou atacar simplesmente – na ânsia de chegar logo ao inimigo, cortou caminho por um vale estreito, de pouca visibilidade. As saídas do vale, então, foram ocupadas pelos partos e o exército romano foi dizimado – quase todos os 50 mil morreram, incluindo Crasso.

A bobagem feita por Crasso, virou, em várias línguas, sinônimo de estupidez. Levonian explica que a expressão “erro crasso” é parente de outras, como “calcanhar de aquiles” ou “vitória de pirro”, ambas que remetem a histórias da antiguidade. “Elas se disseminaram principalmente no século XIX e no início do século passado. Estudar Grécia e Roma era comum, e esses acontecimentos acabavam se transformando em expressões na boca de quem queria demonstrar certa erudição”, comenta o professor da Ulbra.

O pior é que, em latim, crassus também é um adjetivo e significa graxo, ou gordo. Segundo Levonian, nenhuma relação com a expressão: um erro crasso é chamado assim por causa da burrice militar de Marco Licinius, eternizado na fala de vários povos


Angelo José D'Ambrosio

Mestre em Gestão Econômica Empresarial pela Fundação Getulio Vargas – FGV –RJ. Pós-graduado em Administração de Empresas pelo CEPG – Centro de Especialização e pós-graduação do Centro Superior de Vila Velha. Graduado em Ciências Contábeis pelo Centro Superior de Vila Velha. Graduado em Direito pelo Centro Superior de Vila Velha . Profissional liberal atuando na área do Direito Internacional, com 33 anos de experiência em cargos executivos de empresas nacionais (RJ, ES e BH), com foco em finanças e Comércio Exterior. Consultor de empresas com ênfase em Direito Internacional planejamento estratégico, construção de cenários, Marketing Internacional e gestão empresarial, no segmento de comércio exterior . Prof. Universitário nas cadeiras de Direito Internacional e Economia Internacional .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *