O DESMATAMENTO DA AMAZÔNIA NO BRASIL É UMA VERGONHA

 

E recente visita a Noruega, o Presidente da República foi comunicado pelos governantes daquele país, que estariam reduzindo o aporte de capital que fazem para o Fundo da Amazônia. Este fundo é gerido  pelo BNDES aqui no Brasil , cujo montante é destinado para pesquisas e de projetos sustentáveis na região amazônica , o valor deixado de ser repassado pelos noruegueses atinge ao montante de 200 milhões de reais. Segundo dados da revista Exame, edição 1141, de 05/07/2017, “de 2010 até os dias de hoje o Brasil reduziu em 351 fiscais, da equipe que zela pela integridade da mata”.

Segundo a reportagem da revista, nos últimos três anos o desmatamento voltou a aumentar. Em 2016, a perda da Floresta Amazônica cresceu 60%, o que equivale a 39 municípios que compõem a Grande São Paulo, ou seja, quase a 8000 quilômetros quadrados. Quase 25% do desmatamento da Amazônia ocorre em terras públicas, a velocidade de destruição nessas áreas é de 60 vezes maior doo que ocorre dentro das áreas protegidas. Essas áreas ficam à mercê da grilagem, e das ocupações iligais, cerca de 60% do desmatamento está virando pasto.

Dados de órgãos internacionais estimam que 82% da madeira comercializada no Brasil sejam ilegal, ou maquiado legalmente.

Segundo a mesma revista em sua reportagem sobre a Amazônia , muitos frigoríficos brasileiros foram acusados de comprar carne de pecuarista que desrespeitavam a legislação ambiental, o maior deles, A JBS, segundo a revista Exame.

Durante a Conferência do Clima de Paris , o Brasil se comprometeu a reduzir suas emissões de gás carbônico em 43% até o ano de 2030, prazo este estabelecido também para zerar o desmatamento ilegal, porém o que estamos assistindo, devido a falta de vontade política por nossos governantes , coloca em dúvida nossa capacidade em atingir tais metas.

O desmatamento da Amazônia em 2016, contribuiu para acrescentar 130 milhões de toneladas de gás carbônico na atmosfera, correspondendo o dobro da emissão anual de Portugal(dados da revista Veja edição 1141).

Infelizmente no Brasil, entre governo e sai governo e as  medidas drásticas de controle ao desmatamento da Floresta Amazônica que deveriam ser tomadas, ficam somente nos discursos de campanha,  viva o Brasil tupiniquim!

 

Angelo José D'Ambrosio

Mestre em Gestão Econômica Empresarial pela Fundação Getulio Vargas – FGV –RJ. Pós-graduado em Administração de Empresas pelo CEPG – Centro de Especialização e pós-graduação do Centro Superior de Vila Velha. Graduado em Ciências Contábeis pelo Centro Superior de Vila Velha. Graduado em Direito pelo Centro Superior de Vila Velha . Profissional liberal atuando na área do Direito Internacional, com 33 anos de experiência em cargos executivos de empresas nacionais (RJ, ES e BH), com foco em finanças e Comércio Exterior. Consultor de empresas com ênfase em Direito Internacional planejamento estratégico, construção de cenários, Marketing Internacional e gestão empresarial, no segmento de comércio exterior . Prof. Universitário nas cadeiras de Direito Internacional e Economia Internacional .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *